14 filmes reais para quem ama Psicologia

1 – Amadeus (1984) / Transtorno Bipolar

Após tentar o suicídio, Antonio Salieri resolve confessar a um padre que foi o responsável pela morte do gênio Wolfgang Amadeus Mozart, contando em detalhes como conheceu, conviveu e lentamente viu crescer seu ódio pelo jovem criativo que, segundo ele, compunha como se sua música tivesse sido abençoada pelo próprio Deus. Baseado na peça de Peter Shaffer e com o roteiro escrito pelo próprio Shaffer, “Amadeus” nos conta a vida de Mozart sob o ponto de vista de Salieri, um compositor de talento que jamais conseguiu se igualar à genialidade de Mozart. Nesse filme é possível notar em várias cenas que Mozart tinha o que hoje os psiquiatras chamam de Transtorno Bipolar.

2 – Gia – Fama e Destruição (1998) / Personalidade Borderline

Em tom de documentário é narrada a vida de Gia Maria Carangi (Angelina Jolie), uma jovem da Filadélfia que tenta a sorte em Nova York e logo se torna uma das top models mais requisitadas do mundo, a personalidade eletrizante e a potente sexualidade de Gia rapidamente a colocaram no caminho das capas das revistas mais caras. Mas sua fama meteórica vem acompanhada de relacionamentos instáveis. Esta insegurança no amor, na família e em diversos momentos da sua vida a transformam em uma viciada em heroína. Gia Carangi provavelmente era vítima de Transtorno de Personalidade Limítrofe (ou Borderline), não diagnosticado na época.


3 – Garota Interrompida (1999) / Personalidade Borderline e Sociopatia


Em 1967, após uma sessão com um psicanalista que nunca havia visto antes, Susanna Kaysen foi diagnosticada como vítima de Transtorno de Personalidade Limítrofe (ou Borderline). Enviada para um hospital psiquiátrico, onde viveu nos dois anos seguintes, ela conhece um novo mundo, de jovens garotas sedutoras e transtornadas. Entre elas está Lisa Rowe, uma charmosa sociopata que organiza uma fuga. O filme foi baseado no livro biográfico, de mesmo título, escrito por Susanna no qual ela relata suas experiências em um hospital psiquiátrico na década de 60.


4 – Iris (2001) / Alzheimer

Esse filme conta a história de amor entre a novelista e filósofa Iris Murdoch e seu marido, o professor de Oxford John Bayley, narrada em duas épocas distintas: na juventude, quando se conheceram, e na velhice, quando Iris sofre do mal de Alzheimer. Nesse filme a frase “até que a morte os separe” é levada a sério pelos protagonistas que se amam de forma irrestrita nos dias bons e nos dias mais difíceis.



5 – Uma mente brilhante (2001) / Esquizofrenia

John Nash é um matemático com uma carreira acadêmica respeitável, no entanto, ao ser chamado para fazer um trabalho de criptografia para o Governo dos Estados Unidos, Nash passa a ser atormentado por delírios e alucinações. Diagnosticado como esquizofrênico, e após várias internações, ele precisará usar toda a sua racionalidade para distinguir o real do imaginário. Filme imperdível baseado na biografia de John Nash escrita por Sylvia Nasar.


6 – As horas (2001) / Depressão