Depressão em Idosos

Atualizado: Set 15

A depressão atualmente é considerada o mal do século, ela atinge todas as idades e de acordo com estudos de 1% a 10% da população com mais de 60 anos apresentam depressão. Porém, nos idosos ela é mais difícil de ser diagnosticada pois em muitos casos eles negam que estejam com depressão e acabam não buscando ajuda.


As pessoas que convivem com o idoso geralmente também associam a idade avançada a melancolia e tristeza, levando em conta as perdas afetivas que já foram vivenciadas e possíveis doenças existentes, não valorizando muitas vezes a queixa do idoso. De acordo com Stella et al (2002), a depressão no idoso frequentemente surge em um contexto de perda da qualidade de vida associada ao isolamento social e ao surgimento de doenças clínicas graves.


Outros fatores que podem estar associados ao surgimento da depressão na terceira idade são os sentimentos de frustração em relação aos desejos não realizados durante a vida, as perdas que foram vivenciadas, como por exemplo, de seu parceiro, amigos e familiares e também a incapacidade em realizar atividades que antes lhe dava prazer. Em idosos que apresentam depressão é possível também identificar queixas somáticas, sentimento de inutilidade, hipocondria, alterações no sono e também de apetite.


Para o tratamento em idosos é necessário que o psicólogo primeiro investigue os fatores que podem estar desencadeando ou mesmo agravando a depressão. Sendo fundamental pesquisar se o paciente possui alguma doença ou faz o uso de alguma medicação. Após isso é importante entender os aspectos psicológicos e também psicossociais, como lutos e/ou abandonos pelo qual aquele individuo possa ter vivenciado.


A Psicoterapia possui extrema importância para que identifique estes fatores que podem estar desencadeando a depressão e assim consiga auxiliar o idoso, devolvendo assim uma qualidade de vida melhor. Através dela o profissional também consegue orientar a familiar e cuidadores.


É indicado também que o idoso realize atividades com terapeuta ocupacional, pois também há benefícios para ele em seu cotidiano, sendo recomendado a participação em grupos de lazer e atividades artísticas.


Nos casos onde a depressão pode colocar em risco a vida do idoso aí é importante realizar acompanhamento médico para verificar a necessidade do uso de medicação.


Se você conhece algum idoso que está apresentando estes sinais, busque ajuda de profissionais especializados, para que possam realizar o diagnóstico o quanto antes e iniciar as intervenções necessárias a fim de promover a melhora da qualidade de vida.


Autora: Monica Diana / Colaboradora na SabiaMente

Referencias:

BRAGA I. B., SANTANA R. C., FERREIRA D. M. G., Depressão no Idoso. Id Online Revista de Psicologia, v. 9, n. 26, 2015.

STELLA F. et al, Depressão no idoso: diagnóstico, tratamento e benefícios da atividade física. Motriz, Rio Claro, Ago/Dez 2002, Vol.8 n.3, pp. 91-98.

whats.png